Personagens para Mega City


Na Cidade das Cidades, super-heróis, lutadores, robôs, vampiros e agentes secretos andam lado a lado — e a aventura nunca termina!

Avatar do usuário

Mensagens: 3222

Registrado em: 10 Dez 2013, 13:50

Mensagem 11 Dez 2013, 11:46

Personagens para Mega City

Local dedicado a exposição de personagens para Mega City.
"Barbárie é o estado natural da humanidade. A civilização não é algo natural. É um capricho de circunstância. O barbarismo há de triunfar sempre no final."

- Robert E. Howard
Avatar do usuário

Mensagens: 13

Registrado em: 09 Dez 2013, 19:13

Localização: Império de Tauron, Nunca Saberão

Mensagem 17 Mar 2014, 23:19

Re: Personagens para Mega City

"Numa festa à fantasia, Alice terá um presságio: um dos convidados, o homem fantasiado de diabo, estrangulará a freira nua com um cabo de aço"
Alice tem vinte e seis anos e, desde a adolescência, é atormentada por presságios. Desacreditada por psiquiatras, ela é considerada psicótica, até que uma de suas visões a possibilita desvendar um misterioso homicídio. A polícia atribui a autoria do crime ao Beato Judas, um assassino serial de freiras, mas a descrição do suspeito não se parece em nada com o homem que ela viu em sua premonição.
Agora Alice terá de correr contra o tempo para provar que não é louca e para evitar que o assassino faça uma nova vítima.
Imagem
Direto do livro nacional Presságio - O Assassinado da Freira Nua: Alice - Personagem e Ganchos de Aventura.
Ficha montada com base no sistema 3D&T Alpha utilizando o manual básico e os suplementos Mega City e Mega City: Manual do Aventureiro.
Postagem completa:http://www.multiversox.com.br/2014/03/a-vidente-personagem-ganchos-de-aventura.html

Ace Barros
http://www.multiversox.com.br/
Avatar do usuário

Mensagens: 389

Registrado em: 10 Dez 2013, 00:41

Localização: Devil's bar, Nova Memphis

Mensagem 14 Jun 2014, 18:06

Re: Personagens para Mega City

Eu fiz uma ruma de personagem durante a minha campanha do torneio das sombras em Mega city, que durou um ano, sempre fico de postar aqui mas acabo ficando com preguiça de escrever as histórias :lol:

anyway, um amigo meu vai mestrar uma aventura de torneio e eu decidi usar um personagem dessa minha campanha e como ele exigiu que a gente escrevesse as fichas, vou aproveitar pra postar o personagem aqui :D

El Sombra (7 pontos):

F:2 H:3 R:2 A:1 PdF:0, Pvs:20 Pms:10

Vantagens: Ataque especial (1pt), Especialização (Furtividade, Instrumento musical, Acrobacia, 1pt).

Desvantagens: Insano (Fantasia, -1pt), código de honra (heróis e combate, -2pts), Poder vergonhoso (constrangedor, -1pt)

kit: Luchador (carga)

Juan Gonzales era um jovem garoto da pequena cidade de Vielas, uma das mais pobres do México. Uma cidade suja, perigosa e sem entretenimentos.
Exceto pela luta mascarada, grande paixão de sua vida.

Juan sempre sonhou em ser um glorioso Luchador mascarado como os que ele via na tv e na pequena arena "Trueno" em sua cidade Natal, queria seguir os passos de seu maior ídolo: o Grande Luchador "El Halcon" que como ele, Havia nascido em Vielas, afinal, se ele conseguiu, porque não Juan? Porem seu pai não queria que Juan seguisse essa vida, a família Gonzales era conhecida como uma família de músicos na pequena Vielas, seus familiares formavam a mais de 30 anos o grupo "Los mariaches de Vielas", e Ernesto, o pai de Juan queria que ele seguisse o mesmo caminho.
A chance de Juan veio quando El Halcon, na luta pelo título mundial mundial de luta livre, sofreu um grave acidente: sua perna foi quebrada em três partes diferentes e ele sofreu uma parada cardíaca logo após a luta. Mesmo tendo sobrevivido, jamais poderia lutar em campeonatos novamente, o luchador acabou voltando para a pequena Vielas, onde Juan teve a chance de conhece-lo, e passou a implorar todos os dias para que Halcon o treinasse, escondido de seu pai. o luchador sempre o ignorava-o, mandando-o ir para casa ou despachando-o de outra maneira.

Um dia, após voltar da escola para "Lo Ganso ahogado", bar que seus pais sempre se apresentavam, Juan teve a pior visão de sua vida: seus pais, tios, primos e primas estavam todos mortos, assim como os frequentadores do bar, nas paredes havia uma marca: a cabeça de um demônio indiano. Depois disso, Halcon decidiu adotar e treinar o jovem que mesmo após o trauma, não caiu numa sede de vingança, mas decidiu que lutaria contra a maldade no mundo, como um glorioso Luchador mascarado, ele que foi treinado pelo maior lutador do México, seria a sombra do grande falcão que voa sobre os céus, nesse dia, Juan Gonzales descansou junto de sua família e assim nasceu El Sombra.

A cerca de um ano, El Halcon desapareceu, deixando apenas uma carta dizendo que já havia ensinado tudo que tinha pra ensinar e não tinha mais tempo a perder com um moleque idiota como ele, que ele buscasse seu próprio caminho. El Sombra apenas sorriu, estava na hora do mundo conhecer sua lenda!

El Sombra realmente acredita que é uma espécie de super herói: falando sempre como um, sempre que encontra um adversário chama-o de vilão e lhe dá uma alcunha ou algum nome mirabolante, ele sempre carrega um violão uma gaita, que pertenceram a seus pais mortos os quais usa para fazer suas entradas "dramáticas".

Sombras Halter: Após muitas poses, hum... acrobáticas! E uma bravata... inspiradora! El Sombra atinge seu inimigo com uma poderosa cabeçada elaborada, muitas vezes pegando impulso através de uma corrida antes de desferir o golpe, o o que o deixa ainda mais mortal!

O traje de combate de El Sombra:

Imagem

El Sombra em suas entradas trinfais: normalmente com um violão na mão ou uma gaita, loga após uma bravata, ele arremessa sua capa e seu chapelão e se prepara para a batalha!

Imagem
"Primeiro vêm os sorrisos, depois as mentiras, por fim o tiroteio."
Avatar do usuário

Mensagens: 169

Registrado em: 08 Set 2014, 18:25

Localização: Planeta Viskey

Mensagem 21 Mai 2016, 14:29

Lanterna Rubra

Meu nome é Anthony Addison, não que isso seja da sua conta.

Por anos eu servi como tenente ao exército de uma nação imbecil qualquer. Nem lembro mais o nome. Dei meu sangue e suor a troco de que? De minha tropa ser dada como morta e largada para morrer depois de ter sido capturada por um grupo terrorista. E esses babacas fizeram o que qualquer terrorista de fundo de quintal faz com prisioneiros. Interrogatório. Só que não do jeito bonitinho, policial bom, policial mal. E se você pensou em tortura, não é tão burro quanto imaginei. Tanto física quanto psicológica. Comida ruim, não saber quando é dia ou é noite. Esse tipo de coisa. O pior é ter de assistir meus comandados sendo torturados. Depois de um tempo o que eu tinha como família foi destroçado, já que eles me culpavam por não cuspir logo o que esses malditos queriam em troca de uma lealdade que me custou caro. Muito caro. E preciso dizer que isso me deixava furioso?

Bem, um dia eles prometeram que libertariam a gente se eu falasse. Eu resisti bem, mas tem uma hora que não dá. E eu falei o que queriam. Só depois de ver o sangue escorrer pelo furo na testa do meu melhor soldado que eu me toquei do que esses bastardos eram capazes. Mataram um a um, me fazendo assistir, enquanto me chamavam de traidor. Não sei se sangue ferve de verdade dentro do corpo. Mas o meu deve ter fervido. Tanto que, quando chegou minha vez, um anel estranho entrou na janela e se enfiou no meu dedo. Nessa hora, eu apenas ouvi as seguintes palavras vindo do nada:

Anthony Addison, em seu peito arde um grande ódio. Seja bem vindo aos Lanternas Rubras

Na hora eu só senti meu o ódio no meu peito arder ainda mais forte e uma energia luminosa me cobriu, barrando todos os tiros, enquanto um uniforme preto e vermelho se formou no meu corpo. Eu não tive a menor piedade. Não que esses malditos merecessem alguma. Mas eu descobri que conseguia criar no que eu conseguia pensar e que isso se alimentava da minha raiva. Arranquei pedaço por pedaço de cada um e, com a força que o anel me deu, esmaguei o crânio do líder daquele grupo com minhas próprias mãos. Só depois que uma pessoa vinda sei lá de onde apareceu e me explicou o que foi aquilo.

Sete grupos de Lanternas, todos patrulhando o universo, todos zelando pela paz e harmonia e toda aquela falação que dá nos nervos. A melhor parte é que, como cada grupo tem seu jeito, vive saindo briga entre eles. Ah, e como eu gosto de dar uns murros bem dados no nariz do povo da Tropa Dourada. Eles acham que medo é capaz de influenciar e levar à justiça. O que é justiça senão uma forma de vingança, só que com regras? A minha é bem simples: Aprontou, morre. Depois do que vi, não tem essa de redenção. Todo mundo odeia injustiça, e a luz que minha tropa usa se alimenta do ódio. Então eu tenho uma boa dose de energia todo dia pra manter essa porcaria de planeta protegido. Se eu não fizer isso, me arrancam o anel. E sem ele eu morro. Literalmente.


Ficha (12N)
Nome: Anthony Addison
Codinome: Lanterna Rubra
Kit: Senhor da Energia

Atributos
F0, H4, R4, A0, PdF0, 20PVs, 20PMs

Vantagens
Domínio da Luz: Alguns poderes são tão banais que não precisam de muita coisa. Ao custo de 1PM, eu posso iluminar uma área de Hx10m de raio, por um tempo sustentado.
Equipamento (Anel Rubro): Essa coisinha aqui no meu dedo é algo que me deu meus poderes e me deixou doido de raiva. Me custou 5 pontos e muito sofrimento para conseguir. Toda tropa recebe um desses
Idiomas (Universal, Falar com Animais, Falar com Máquinas): O Anel traduz tudo que escuto para que eu entenda, seja cachorro, vaca ou algum tosco de outro planeta...
Voo: Voar é que nem andar pra frente para as tropas, tanto que nem consome energia direito. Eu chego a 80m/s em velocidade total.

Desvantagens
Insano (Fúria): Calmo? Você quer que eu fique calmo depois de tudo que passei!? Vá se ferrar! Se me irritar ou me acertar, eu preciso é passar num teste de Resistência, senão perco o controle e vou pra cima do infeliz que testou minha paciência. Depois eu fico exausto por 1 hora, com uma penalidade de -1 em tudo. Só não garanto que você estará vivo para ver isso.
Má Fama (Violento): Que se lasquem aqueles que acham meu jeito de fazer justiça errado! Do meu jeito funciona e ponto!
Maldição: Se tem um probleminha com essa porcaria de anel, é que meu coração bateu tão rápido pela ira que ele já deu o que tinha que dar. Ele não bate, e meu sangue foi trocado por luz vermelha em forma líquida. Então, se tirarem o anel de mim, é morte certa em 1d6 turnos, além de eu perder meus poderes. Então, tira a pata do meu anel se quer sobreviver!
Sanguinário: Não existe essa se redenção. Então eu não aceito criminoso vivo. Se eu não puder matar, deixando ele derrotado, desmaiado ou tiver de capturá-lo, eu fico com um redutor de -1 em todos os testes durante um dia por conta dessa raiva que fico! E, se eu uso ataques para paralisar, é só para segurar o maldito antes de descer a marreta nele!

O Anel Rubro (25N)

Atributos
F5, A5, PdF5

Vantagens
Adaptação: Eu preciso sobreviver em vários ambientes, tipo o vácuo do espaço, não é, sua anta? Então gastando 5 PM's e gastando um turno inteiro eu consigo sobreviver ao ambiente, como respirar embaixo d'água, no vácuo, ganhar Armadura Extra (fogo) para entrar num prédio em chamas. Esse tipo de baboseira.
Adaptador: Essa porcaria de anel tem suas utilidades. O que eu pensar em termos de arma, ele consegue criar. Então eu posso até criar uma lança, uma espada, um ônibus...
Campo de Força: Eu consigo criar um campo de proteção com esse anel que protege a mim e o que estiver carregando. Então, torrando 1 PM eu ativo ele e depois tenho de torrar 1 PM pra cada 2 pontos de dano que quero bloquear.
Carga Extra: Esse anel tem uma boa quantidade de carga. Ao invés de calcular os usos com multiplicador de 3, eu uso multiplicador de 5
Criar Objeto: Vou ter de repetir? Eu consigo criar coisas com esse anel. Porém nem todas podem ser complexas. Eu consigo criar pontes, paredes, jaulas. Em todo caso, essas tranqueiras possuem 1 metro e 1 ponto de resistência por PM gasto. E eu posso recuperar 5 PVs dos meus objetos com 1 PM. Além disso, eu posso prender alguém com meus objetos, sendo que o infeliz precisa fazer um teste de Habilidade pra escapar. E ele também pode atacar o que eu to usando pra prender.
Paralisia: Eu posso segurar alguém na marra, como correntes, grilhões. Enfim, torrando 2 PMs ou mais, eu faço um ataque. Caso minha FA vença a do alvo, ele tem de fazer um teste de resistência. Se falha, fica paralisado por 1 turno por PM gasto ou até eu acertar ele com uma bela cacetada.
Ruína: Lembra aquela energia cáustica que corre nas minhas veias? Então, eu posso vomitar ela no idiota que me irritou. Eu posso fazer um ataque com Força igual ao número de PMs que gastei e o alvo perde 1 ponto de Armadura por ponto de dano que receberia. Isso detona com objetos e meus inimigos precisam fazer um teste de Resistência por turno, até passar e o efeito do sangue ardente passar.
Telecinesia: Com a luz do anel eu posso erguer coisas e pessoas. Ao custo de 2 PMs por ponto de força, posso mover coisas a até 50m de mim por 10m por turno. Se quero arremessar alguém ou tirar do lugar, preciso testar a força do poder contra a da pessoa. Se arremessar, eu posso arremessar até 50m.

Desvantagens
Munição Limitada: O Anel não é ilimitado. Eu tenho 5 usos para cada ponto de Força para ataques corpo a corpo, 5 usos para cada ponto de Poder de Fogo para Ataque à Distância, e 5 usos para cada ponto de Armadura para outras coisas. Usando uma lanterna que serve de condutor pra luz rubra de todo universo, eu posso carregar meu anel. Mas isso requer 1 hora e que eu recite meu juramento aos Lanternas Rubras...

Imagem

Com o ódio ardendo em intenso rubor
Eu levo ao mal a merecida dor
Aniquilando aquele que se torna um empecilho
Minha fúria fulgura no mais intenso brilho
Imagem"Você é transparente demais..." - Diego Hayabusa Imagem"Não quero mais brigas!" - Kia Hayabusa

Voltar para Mega City

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: nenhum usuário registrado e 1 visitante.