Ato 2.5 ~ Lua de Prata

Avatar do usuário
Galahad
Mensagens: 1933
Registrado em: 09 Dez 2013, 18:33

Re: Ato 2.5 ~ Lua de Prata

Mensagem por Galahad » 23 Nov 2021, 19:30

Tenzi

— Fulano? Que nome curioso, não escutei antes. Talvez tenha sido uma sombra do seu chapéu, pensei ter visto que você possuía barba.

Dito isso, Tenzi baixava a guarda um pouco, estendo a mão em direção do cantil, pensando em beber um pouco de água. Mas então parava de repente, olhando um pouco mais sério para Fulano.

— Espera, como você sabe que sou de Tenzi de Compasso? Com quem você está?

Avatar do usuário
Keitarô
Mensagens: 1349
Registrado em: 09 Dez 2013, 19:58
Localização: Mahoyiga

Re: Ato 2.5 ~ Lua de Prata

Mensagem por Keitarô » 24 Nov 2021, 14:46

Amaretsu

Amaretsu não sabe mensurar quanto tempo passou pensando naqueles fatos. Inclusive, cochilou. Sonhou que era noite, estava numa floresta semelhante ao bosque com o lago que visitara horas antes com Fátima, mas não o mesmo. No meio da floresta havia uma clareira ocupada por uma construção de alta tecnologia. Era familiar, mas ao mesmo tempo diferente de tudo o que ela vira no QG de aço ou em qualquer outro lugar.

Como se a mente voasse e atravessasse paredes, sua vista adentrou a construção, revelando um laboratório improvisado. Havia pessoas em jalecos, computadores e equipamentos, celas com pessoas e o que pareciam ser lobos dentro, e uma grande máquina ao fim, uma cápsula com um líquido azulado onde alguém boiava inconsciente.

Uma certa agonia foi tomando conta de Amaretsu, enquanto ela foi passando a entender de quem se tratava. Quando estava para ver o corpo e o rosto da pessoa, tudo ficou preto, um grito ecoando na sua cabeça que a fez acordar assustada.

"NÃO VENHA! FUJA!"

O sol estava para se por. Fátima não parecia estar em casa, mas Amaretsu sabia que de tempos em tempos a senhora saía para fazer uma ou outra coisa, como colher ervas, estender roupas na parte detrás da casa, ou algo assim.

Carlos

— Ué, não estamos atacando o Santuário — ele ficou um pouco confuso com a pergunta. — Estamos vivendo nossas vidas SEM o Santuário. Quem precisa deles? Nem Atena eles têm, afinal. Fiquei sabendo daquela noite maluca na tal Universidade. Cê tava lá, né?

Tudo estava indo muito bem, e Hagar ficou claramente pensativo e depois curioso quando Carlos falou que ele merecia mais, e que seu caso pessoal era algo a parte das outras armaduras negras. Só que tudo foi por água abaixo quando ele falou sobre Amaretsu.

— Pera aí. Sua colega? Você está com ela? Temos ordens para CAPTURAR Amaretsu. Se eu soubesse, ela já estaria com o mandante da missão. Bem, vai estar em breve, de todo jeito. Serpus vai dar um jeito. Agora você… Não parece que é um de nós, afinal. Vou ter que esfregar sua cara na areia, mesmo não querendo. Tsc, eu sou mesmo um bonitão bobão.

Ele ficou triste por um momento, e depois balançou a cabeça negativamente. Resmungou algo sobre "você tem razão, Misha", e bateu os punhos, fazendo Cosmo ricochetear para os lados. A luta era iminente.
Carlos automaticamente ganha a Iniciativa.

Cecilia

— Ahm… Acho que sim — ele olhou para a armadura de canto de olho, comparando com a própria vestimenta, basicamente colete e placas militares úteis contra projéteis balísticos comuns, mas não contra Amaretsu, ou mesmo Cecilia, se esta usasse seu Cosmo. — Eu vi o que vocês são capazes de fazer. Há lendas sobre guerreiros sobre-humanos em todas as sociedades, afinal, mas foi uma surpresa saber que é verdade. Quantos há de vocês?

Então ele pareceu perceber como Cecilia na verdade deveria ser cega, pelos olhos sem vida, o cristalino opaco. Surpreendeu-se, mas segurou a reação.

— Como conseguem? Ser mais que pessoas comuns, digo. É a armadura que potencializa? Já ouvi falar em testes assim nos governos do oeste.

Cecilia passou por celas vazias — o complexo todo parecia uma prisão pequena — e, ao dobrar num último corredor à direita, o homem apontou para a última sala. Deveria ser o capitão deles.

Tenzi

Fulano, sorridente, permanece com o braço esticado, o cantil ofertado. Fez silêncio por alguns segundos, quando explanou:

— Essa é uma pergunta de caráter filosófico, amigo. Posso dizer que estou do meu lado… que é temporariamente o mesmo lado que vocês. Estou observando a tal missão para capturar Amaretsu. Poderia ir e resolver tudo, mas isso seria injusto. Uff — ele suspirou, preso no dilema. — É o prêmio por uma obsessão, acho…

Ele resolveu beber mais água, mas logo depois encheu o cantil de novo. Então, ofereceu.

— Meu nome não é Fulano, mas não quero me identificar. Você já sabe mais que qualquer um, porque conseguiu ver meu rosto. Digo que sei onde Amaretsu está, e que ela em breve será atacada pelo Cavaleiro Serpus de Órion Negro. Eu a avisarei instantes antes, e assim ela poderá lutar e fazer a justiça que deseja. Em troca desta informação, peço que não intervenham. Caso contrário, terei que interferir na sua interferência! Mesmo sendo só um cavaleiro de aço, sei de uns truques.

Ele estralou os dedos e, de repente, sua barba e cabelo cresceram. Tenzi conseguiu ver o movimento do Cosmo, então tratava-se de uma técnica.

— Tipo esse. Eu gosto de não ser encontrado, hehe. Mas você me encontrou. Hummm…

Com um outro estalar, o rosto voltou ao que era antes. Era seu verdadeiro?
Dados:

Amaretsu: 20/20 PVs, 16/20 PMs; Sugoi, sem dados da armadura.
Tenzi: 15/15 PVs, 29/35 PMs; 13/15 cargas; Sugoi.
Cecilia: 25/25 PVs, 24/25 PMs; 13/15 cargas; Sugoi. PD: Cura, e 2 PEs temporários.
Carlos: 30/30 PVs, 40/40 PMs; 22/25 cargas.

Próxima atualização: dia 29.11.2021, segunda-feira.

Avatar do usuário
Pontus Maximus
Mensagens: 811
Registrado em: 09 Dez 2013, 21:15

Re: Ato 2.5 ~ Lua de Prata

Mensagem por Pontus Maximus » 24 Nov 2021, 21:06

Amaretsu:

Não percebi que estava cansada e havia dormido talvez algumas horas? Não sei dizer, meu sonho ou um tipo de presságio surgiu sem que eu não tivesse nenhum controle de fazer algo e apenas pude testemunhar as revelações parcialmente, porém me deixou meio perturbada o que deu para ver.

-"Mas que lugar era aquele? Uma Base de operações ou um Laboratório?" - Em pensamentos eu me dou conta de que a principal cobaia fosse um ente querido - "Pai? Remo?".

A voz que me pedia para fugir eu não sei exatamente de quem era mas sei que precisava de minha ajuda, não dava para simplesmente ignorar mas eu também estava em perigo e sem minha Armadura e como eu estava ali temporariamente sozinha eu procurei pela senhora Fátima mas sem sair da casa, tentei saber onde ela estava procurando ouvir sua localização ou ver através de alguma brecha pequena nas portas e paredes, enquanto isso me dei conta de algo importante.

"-A senhora Fátima não parece ter medo dos abutres que percorrem o deserto mas por minha causa ela está em perigo, se os inimigos descobrirem que ela está me dando abrigo eles podem tentar usa-la como refém para forçar minha rendição, não posso deixar que isso aconteça, confesso que não sei o que fazer então eu farei como os heróis bíblicos faziam, vou orar".

-" Meu Deus, o que faço? Devo ir embora pelo deserto? Ou devo ficar um pouco mais? -Sei que não sou sua melhor serva mas preciso de ti, por favor proteja a senhora Fátima, meus amigos e namorado pois devem estar preocupados comigo, defenda meus pais e Remo assim como todas as cobaias desse lugar, me faça forte pois temo voltar para os grilhões de prata que me prenderam, meus inimigos são sanguinários e possuem espadas na boca ao invés de dentes e língua, confesso que sou violenta também, me guia nas batalhas para que eu possa lutar com sabedoria e justiça e não com selvageria, amém".

Quando terminei de orar eu fiquei a tentar observar e cuidar se possível da senhora Fátima.

Avatar do usuário
Galahad
Mensagens: 1933
Registrado em: 09 Dez 2013, 18:33

Re: Ato 2.5 ~ Lua de Prata

Mensagem por Galahad » 17 Dez 2021, 20:16

Tenzi

Após a explicação sobre o termo "Fulano", Tenzi aceitava a água que fora ofertada uma outra vez, vendo que o homem não tinha intenções hostis, pelo menos não no momento. Bebia a água e tratava de sentar-se de frente ao soldado agora barbudo.

— Humm. — que nem seu seu novo conhecido, Tenzi também estava diante um dilema. — Você me pede para não interferir na luta de Amaretsu e Cavaleiro Serpus de Órion Negro, mas poderia me dizer mais alguma coisa? Talvez sobre tal obsessão que você falou.

Avatar do usuário
Nulo
Mensagens: 490
Registrado em: 09 Dez 2013, 20:17

Re: Ato 2.5 ~ Lua de Prata

Mensagem por Nulo » 18 Dez 2021, 22:40

Cecilia

— Diria que poucos...

Pelo menos no lado do Santuário, pelo que tinha escutado, haviam poucos santos na ativa. Era um ofício perigoso fora diversas circunstâncias que deveriam limitar esse número. Já do lado do "inimigo" não saberia informar.

— Hmm...Diria que a armadura seria mais uma extensão do usuário. Definitivamente potencializa, mas se o usuário em si não tem potencial, de nada adianta.

Sobre o outro questionamento, nem Cecilia tinha muita certeza. Como ela conseguia ir além? Ela em partes tinha sorte, talvez uma coragem que se confundisse um pouco com estupidez, alguns infortúnios com o que quer que...fosse e teimosia. Definitivamente teimosia.

— Persistência, sorte, infortúnio, teimosia. São...várias circunstâncias que nos levam até aqui.

Definitivamente poderia soar estranho para a santa falar isso com alguém como aquele soldado que provavelmente teria muito mais experiência de vida no campo de batalha como ela, mas não tinha muito o que falar sobre isso sendo que ela mesma era um caso bastante bizarro.

— Então é essa a sala? Agradeço pela escolta.

Com isso dito, era hora de (tentar) improvisar e ver se arrancava alguma pista seja do capitão ou da armadura de Amaretsu. Daria certo?

Avatar do usuário
Inoue91
Mensagens: 636
Registrado em: 08 Jan 2014, 02:38

Re: Ato 2.5 ~ Lua de Prata

Mensagem por Inoue91 » 04 Jan 2022, 22:31

Carlos

— Sim, eu estava lá, foi uma situação meio caótica mas conseguimos deixar tudo sobre controle apesar de algumas pessoas terem se machucado bem feio ou terem sofrido outros tipos de dano — Dizia um pouco desanimado ao lembrar da situação de sua professora.

"Eles tem uma missão de captura-la ? Então quer dizer que não foram eles ou ele apenas não sabe que ela já foi capturada"

Carlos estava tentando evitar um combate mas acabou errando em suas palavras o que irritou o grandalhão, vendo que o combate era iminente, Carlos se afastava alguns passos analisando melhor a situação, relembrando vagamente a luta anterior que tivera com o Hagar, inicialmente concentrava seu cosmo em seus punhos e dava apenas um golpe, ficando atendo com o que poderia vir logo em seguida.

— Meteoro de Pegaus !!!

Ataque Especial II (F+4 2PM) FA: F6(2+4)+H4 +D6
Também estou gastando a Minha esquiva e 2Pm para ativar Escudo FD: A10(5x2) +H4 +D6 + O mesmo golpe caso ele venha a usar o mesmo golpe que me atacou no ultimo encontro.

Responder

Voltar para “Cavaleiros do Zodíaco Alpha”