Ato 2.5 ~ Lua de Prata

Avatar do usuário
Inoue91
Mensagens: 640
Registrado em: 08 Jan 2014, 02:38

Re: Ato 2.5 ~ Lua de Prata

Mensagem por Inoue91 » 22 Jun 2022, 22:05

Carlos

Após acertar o golpe em Hagar, Carlos dava um leve sorriso, estava começando a se empolgar com a batalha, ao ver que seu golpe havia danificado a armadura de Hagar, seguido da indagação do mesmo que sua armadura ainda não foi reparada desde o ultimo encontro, Carlos então chegou a conclusão que talvez quebrar a armadura de Hagar fosse a melhor situação.

Ao ver que ele se preparava para um golpe, pela movimentação e pelo esforço que o cavaleiro negro fazia, Carlos via que aquele seria um golpe poderoso e assim para poder se defender melhor, Carlos recuava alguns passos e entrava em posição defensiva, começando a concentrar seu Cosmo em seus braços.

— Pelo visto vou ter que tirar a informação da onde minha colega esta a força de você, venha me mostre do que é capaz!

Irei Gastar 1 PD para subir a escala para Sugoi e 2pms para ativar escudo, indo para A10, ficando então FD + A10+H4+D6+1 (Embora no ultimo post eu já tenha feito isso, mas não sei se contou)
Após levar o golpe, Carlos chacoalhava os braços doloridos e rapidamente avançava contra Hagar dando deste vez um soco, mirando em sua armadura para tentar danifica-la um pouco mais.
FA = F2+H4+D6

Avatar do usuário
Keitarô
Mensagens: 1355
Registrado em: 09 Dez 2013, 19:58
Localização: Mahoyiga

Re: Ato 2.5 ~ Lua de Prata

Mensagem por Keitarô » 24 Jun 2022, 00:11

Amaretsu

Amaretsu percorreu a distância até o bosque com imensa rapidez, em poucos minutos. Uma vez lá dentro, chegou até o lago, onde várias coisas já haviam acontecido. No caminho ela havia encontrado pegadas no chão, mas agora nem sinal de Fátima. A partir de certo ponto, próximo ao lago de antes, as marcas no chão simplesmente sumiam. Não havia cheiro, nem qualquer outro sinal sequer.

De repente, um cosmo. Era difícil de sentir qualquer coisa daquela região, por algum motivo, mas era familiar. Pegadas, barulhos de arbustos. Muito atenta, Amaretsu adivinhou de onde vinha — da lateral do lago, algo que parecia estar esperando por ela.

Era Serpus. Estava sem sua armadura.

Como se não seguisse as leis da física, seguiu caminhando rumo ao lago, até andar sobre as águas, como se fosse muito leve. Os olhos focados em Amaretsu, a expressão impassível.

Encontrara sua presa.

Tenzi

— Não, não. Nem se eu quisesse. Você notou que esse deserto pertuba a movimentação por cosmo, né? Eu só sei onde estão pelo localizador da armadura. Consigo transportá-la com algum esforço, só porque ela não tem cosmo complexo. Agora… não somos inimigos, afinal. Não vou te impedir de tentar fazer o que quiser.

Com um comando de touch, Fulano projetou uma imagem de baixa resolução de sua manopla. Mostrava ruidosamente o que parecia um quarto, com duas pessoas. Com algum esforço Tenzi reconheceu uma delas como Cecilia.

— Então ele tem um protótipo de aço também… Tsc, que época nós vivemos. Ainda bem que peguei tudo o que precisava e fugi antes de ser tarde demais — falava retoricamente.

Tenzi também sentiu o cosmo de Carlos elevar-se em combate com alguém.

Fulano suspirou profundamente, e Tenzi sentiu um outro "movimento" de cosmo do homem. Parecia ter encerrado uma técnica qualquer, e por isso pareceu muito mais poderoso do que antes.

Cecilia

Capitão sorriu com disciplina militar.

— Sou Capitão Isaías. Então sua patente é "de Taça"? Já ouvi sobre isso antes, mas é a primeira vez vendo um de vocês do lado do tal Santuário. Enfim, não me importa, amazona. Não posso permitir que leve a armadura.

Levantou-se, trejeitos masculinos, embora feição e corpo femininos. Aproximou-se da armadura, estudando-a. Possuía uma manopla tecnológica em um dos braços que muito lembrava a armadura de aço de Amaretsu.

Cecilia apurou o olfato e notou quatro cheiros diferentes na peça protetora de Amaretsu. O próprio cheiro dela, o cheiro do cavaleiro que Amaretsu batalhou no QG de aço, e o cheiro daquele militar. Havia ainda um quarto cheiro, que trouxe uma sensação familiar, de quando ela esteve no QG, mas não pertencia a alguém que ela se lembrasse. A memória a trouxe de volta à sala de espera, onde ela esteve com Kátia e Carlos, e os ataques dos cavaleiros negros começaram. Não pertencia a nenhum deles, porém.

Perdida na análise, Cecilia nem percebeu quando a pessoa à sua frente mudara para um traje combativo.

Imagem

— Não é porque você é uma amazona e eu não sou um cavaleiro que serei derrotado.

Uma pequena luz pareceu acender num canto da armadura de Amaretsu. O capitão não percebeu.

Carlos

Carlos sentiu o cosmo crescendo até mais do que havia comandado, um surto de poder. Seus braços foram cobertos pelas chamas de energia, que em seguida cobriram o corpo do cavaleiro quase totalmente. Antes da proteção fechar, os punhos gigantes de Hagar o alcançaram. De alguma forma o ataque ainda atravessou a técnica do Pégaso, empurrando-o para trás. Como se por vingança, Carlos sentiu uma das braçadeiras rachar sutilmente.
Carlos rolou um Imagem em sua FD, defendendo-se contra a FA 24 com FD 18, resultando em –5 PVs e –1 carga de armadura.
— … Heh. Ao menos um pouco de compensação. Estou cansado disso, Carlos. O bobão. Sempre passado pra trás. Sempre o forte, que não consegue agir sozinho, que perde. Basta. Eles não reconhecem meu poder.

A retaliação de Carlos foi bem executada, mas ainda assim parada pela mão gigante do guerreiro. Estava quente, o cosmo aumentando.

— Chega.

Hagar socou com a outra mão para cima, uma lufada de vento fazendo a poeira subir. Por um momento, silêncio. Uma sensação de urgência tomou conta de Carlos, mas era tarde — punhos gigantes de cosmo surgiram descendo dos céus. Nenhum deles buscava atingir o guerreiro, mas eram tão poderosos que deformavam o chão em ondas elásticas, fazendo pedregulhos subirem e buracos abrirem. Tanto Carlos quanto Hagar pareciam afetados.
Hagar rolou ImagemImagemImagemImagem para uma FA 21. Rolou também Imagem para defender-se do próprio ataque em área. Carlos pode rolar uma esquiva para ter FD+1, ou defender-se direto.
O sol começava a se por, e a lua cheia aparecia à medida que a luz baixava.

***
Dados:

Amaretsu: 20/20 PVs, 16/20 PMs; Sugoi, sem dados da armadura.
Tenzi: 15/15 PVs, 29/35 PMs; 13/15 cargas; Sugoi. +1 PD.
Cecilia: 25/25 PVs, 24/25 PMs; 13/15 cargas; Sugoi. PD: 2 PEs temporários. +1 PD.
Carlos: 24/30 PVs, 34/40 PMs; 21/25 cargas; Sugoi 1/5. +1 PD.

Próxima atualização: dia 28.06.2022, terça-feira.

Avatar do usuário
Pontus Maximus
Mensagens: 816
Registrado em: 09 Dez 2013, 21:15

Re: Ato 2.5 ~ Lua de Prata

Mensagem por Pontus Maximus » 24 Jun 2022, 16:10

Amaretsu:

Percorri o trajeto e tudo que vi foram pegadas na areia, eu temia o pior já que a senhora Fátima havia feito muito por mim, uma forasteira com a cabeça a prêmio, sou treinada para missões de assalto mas aquela para mim em breve se tornaria uma missão de resgate, foi então que os passos dela sumiram e fiquei perdida sem saber por onde continuar. Mas subtamente eu senti que havia mais alguém ali, afinal de contas um Oásis no deserto é valioso para todos.

-Tem alguém aí? Quem está aí? Se revele de uma vez.

Falava eu com a arma apontada, e instantes depois era ninguém menos do que Órion Negro, sempre me preocupei que um dia cedo ou tarde eu teria que lhe dar com ele, mas sozinha eu não poderia vencê-lo naquelas condições, sem minha armadura de aço, ele caminhava em minha direção com um olhar indecifrável e mostrou seu poder caminhando por sobre as águas.

A medida que ele vinha em minha direção eu recuava com a arma ainda em punhos.

-Órion, me devolva a senhora Fátima agora. -Não queria iniciar um combate e arriscar em destruír o Oásis. Foi então que continuei a falar.

-Órion Negro, quando escapei da cela com você incosciente eu poderia tê-lo matado ali mesmo, mas ao invés disso eu o perdoei e fui embora, você me deve isso, agora me devolva a senhora Fátima agora.

Por mais que me mantivesse firme como um Soldado deve ser eu por dentro estava com medo de ficar presa e indefesa novamente, meu medo desde criança, mas eu não podia pensar em mim mesma naquele momento, com certeza ele atraiu a senhora Fátima para uma armadilha para poder chegar a mim e se eu entrasse em combate com ele agora talvez eu nunca mais poderia vê-la com vida novamente depois de todo o carinho que ela me deu, só me resta uma alternativa.

-Serpus, façamos um acordo, me devolva a senhora Fátima sã e salva e eu me rendo e volto com você, o que me diz?

Naquele momento me veio uma passagem bíblica na mente, Jesus Cristo disse "Ninguém tem maior amor do que este, dar a sua própria vida pela de seus amigos" Fátima se tornou não só numa amiga mas sim numa irmã mais velha para mim.

Então eu soltei a as armas no chão, tirei o colete, me ajoelhei com os pés juntos para trás e as mãos também para trás para que ele me prendesse mãos e pés, eu também espero que ele tire minha máscara para me amordaçar mas antes eu lhe exigi mais uma vez:

-Me devolva agora a senhora Fátima, você me deve isso, ela não tem nada haver com isto e depois pode me levar.

Espero a reação dele.

Avatar do usuário
Galahad
Mensagens: 1937
Registrado em: 09 Dez 2013, 18:33

Re: Ato 2.5 ~ Lua de Prata

Mensagem por Galahad » 27 Jun 2022, 21:10

Tenzi

Tenzi, preocupado com seus amigos, deixava de lado a sua própria preocupação quanto ao Fulano e "movimento" de seu cosmo, e por isso decidia por um curso de ação.

— Eu não sei o que você quer dizer com protótipo de aço, mas não posso ficar parado aqui, tenho que ir até essa pessoa, ela é uma amiga e parece estar precisando de ajuda.

Se não fosse impedido, Tenzi tentaria rumar na direção de Cecilia. seja tentando sentir o cosmo da amiga, seja usando a imagem que vira para tentar um salto.

Avatar do usuário
Nulo
Mensagens: 494
Registrado em: 09 Dez 2013, 20:17

Re: Ato 2.5 ~ Lua de Prata

Mensagem por Nulo » 27 Jun 2022, 21:17

Cecilia

"Eu já esperava por um desfecho assim."

Coçaria a cabeça se não fosse enfurecer a pessoa ali que já trajava uma indumentária de combate.

"Eu já tenho em partes o que procurava. Pressiono mais?"

Talvez já fosse o suficiente para tentar rastrear a companheira de aço. O último cheiro trouxe algumas dúvidas, mas não era tempo de pensar sobre isso nessa situação.

— Aprecio o ímpeto, mas não seria melhor antes verificar o que está ocorrendo com essa armadura? Isso é um mecanismo de auto-destruição?

Não sabia, mas se puder evitar um confronto naquela base ou algo explodindo, o faria. Não estava ali para abater ninguem desnecessariamente.

[OFF: Se for necessário, Aparência Inofensiva e Atuação para fazer o capitão olhar para o que está ocorrendo com a armadura.]

Avatar do usuário
Inoue91
Mensagens: 640
Registrado em: 08 Jan 2014, 02:38

Re: Ato 2.5 ~ Lua de Prata

Mensagem por Inoue91 » 01 Jul 2022, 18:45

Carlos

Carlos tentava bloquear o golpe da melhor forma possível, ele conseguia absorver boa parte dele, mas sentia que sua armadura se danificava um pouco, Carlos limpava a poeira que o golpe havia levantado mas antes de avançar o grandalhão novamente começava a indagar palavras e com base nos movimentos que fazia imediatamente a memoria da batalha no QG dos cavaleiros de aço lhe veio a cabeça.

"Oh...Droga...Esse golpe é poderoso"

Carlos lembrava que em nos jogos de rpg que ele jogava as criaturas com fly não eram afetadas pela skill terremoto, queria ele saber voar o levitar para ver se esse conceito também era valido nesta situação, sem poder fugir como da ultima vez, Carlos batia o pé no chão, firmando a sua posição e tentava absorve-lo da melhor forma possível.

Levantando dos escombros gerado pelo golpe, Carlo chacoalhava a cabeça mais uma vez tirando a poeira de seu cabelo, passava a mão em seu nariz e rapidamente avançava contra Hagar, liberado um poderoso golpe com seu Cosmo.

-- Meteoro de Pégasos!
Gasto 2Pms novamente para ativar escudo, dobrando minha A, ficando FD = A10+H4+2 de o mesmo golpe + D6
Na FA irei utilizar com 2PMs ataque poderoso, Ficando FA = F6+H4+D6

Avatar do usuário
Keitarô
Mensagens: 1355
Registrado em: 09 Dez 2013, 19:58
Localização: Mahoyiga

Re: Ato 2.5 ~ Lua de Prata

Mensagem por Keitarô » 30 Jul 2022, 20:53

Tenzi

— Deseja mesmo ajudá-los, certo. Então vá, e descubra.

O homem olhou sério para Tenzi uma última vez. Não iria impedir. Tenzi saltou pelo cosmo e sentiu que conseguiria, de alguma forma. Milissegundos depois sentiu que Fulano também saltou para algum lugar.

Tenzi sentiu o caminho até Cecilia se formando, mas repentinamente algo distorceu sua intenção, e algo parecia estar errado. Pousou no meio do deserto, surgindo na frente de duas pessoas que caminhavam, um homem e uma mulher. Ambos saltaram para trás, sem entender.

Tenzi reconheceu o homem na hora. Kain de Erídano, trajando uma armadura negra. A mulher também trajava uma armadura negra.

Imagem

E seu cosmo era familiar. Era um dos cosmos de dias anteriores, quando esteve no QG de aço para ajudar Amaretsu.

— Ora ora — Kain se antecipou, prontamente reconhecendo Tenzi. — Olha quem temos aqui.

— Você já o conhece? — Misha sorriu para Tenzi. — Encontramos este cavaleiro negro perdido e desnorteado. O líder disse que deveríamos convidá-lo, e--

Ela finalmente pareceu perceber que havia algo diferente. A armadura de Tenzi não era negra. Estaria falando de Tizen?

O chão tremeu, quase desequilibrando a todos.

Cecilia

Ressabiado, o militar manteve a postura bélica. Lentamente recuou, virando-se sem tirar Cecilia de foco. Observou a luz vermelha piscante, e pareceu relaxar a postura um pouco, chaveando a atenção para a armadura porque talvez a amazona tivesse razão.

— Mas armaduras de aço não têm comando de autodestruição!

A luz começou a piscar cada vez mais rápido, embora sem som. Uma sensação de urgência angustiante tomou conta dos dois. O sinal ficou constante, e, num movimento automático, o capitão saltou na direção de Cecilia, como que para protegê-la de uma granada.

— Cuidado!

… Mas nada aconteceu. Nenhum som, nem movimento, nem nada. O capitão se levantou e permaneceu paralisado olhando para a armadura. Ou para onde a armadura deveria estar. Havia sumido. Caminhou, aproximando-se, olhou ao redor. Por fim, virou de novo para Cecilia.

— … O que você fez…? Diga, amazona! Sua cobra… ludibriou-me!

A estrutura tremeu, derrubando poeira do teto. O capitão já não sabia mais se aquilo era o tá de Cecilia ou não.

Carlos

O impacto dos socos e da onda de choque física fizeram com que Carlos fosse lançado para o lado, rolando algumas vezes no chão erodido pelo golpe. A armadura fazia seu papel, protegendo o cavaleiro, mas aos poucos Hagar parecia avançar no plano de derrubar o inimigo.
Carlos rolou um Imagem em sua FD, defendendo-se contra a FA 21 com FD 17, resultando em –4 PVs e –1 carga de armadura.

O próprio Hagar parecia ter sido afetado pelo golpe, como da outra vez. Uma ombreira estava quebrada, o ombro sangrando. Ele não parecia ligar. Batia um punho contra o outro, muito sério e focado.

— … Chega, chega…

O cavaleiro negro abriu os olhos em quase surpresa pelo contra-golpe do brasileiro. Carlos materializou um meteoro na forma de soco, que foi parado pelo grande braço esquerdo de Hagar, fazendo a braçadeira rachar no meio. Destroçara a peça, mas defendera-se.
Carlos rolou um Imagem em sua FA com Ataque Especial, golpeando com FA 22. Hagar defendeu também com um Imagem, outro crítico.

— Então você é insistente… pois então eu vou com tudo. Vamos ver se estará de pé depois desse. Eu certamente estarei!

Como antes, o cosmo de Hagar subiu, mas a níveis absurdos. Carlos não tinha visto ainda um outro inimigo com poder tão bruto, talvez apenas Ingi, na faculdade. O cosmo destruidor fora devastador. Hagar não socou o ar, desta vez, e sim o chão. No momento que tocou a areia, uma chuva de punhos gigantes pareceu varrer o deserto, escurecendo até mesmo o céu com a poeira e o cosmo. O som do impacto poderia deixar uma pessoa normal surda.
Hagar rolou ImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagem para uma FA 53!. Rolou também Imagem para defender-se do próprio ataque em área. Carlos pode rolar uma esquiva para ter FD+1, ou defender-se direto.

Em meio à poeira cataclísmica, a noite baixou.

Amaretsu

Serpus suspirou, sem nada dizer. Então como se usasse a mente (o cosmo, na verdade), passou a emitir mensagens que pareciam ecoar de todos os lugares.

"Eu não sei do que você está falando. Não sei quem é Fátima. Vim apenas para recapturá-la e cumprir minha missão."

Ele se aproximou mais, mas resolveu manter uma distância segura. Olhou para o próprio corpo e o de Amaretsu, e confirmou algo com a cabeça. Finalmente, entrou em posição de combate.

Um estalo de energia se fez ao lado de Amaretsu, assustando os dois. Como que por magia, sua armadura de aço flutuava, desmontando-se para acoplar-se na amazona. Esperava apenas um comando.

Serpus suspirou em fúria novamente. Aparentemente não tinha sua armadura consigo.

A floresta tremeu de leve, o lago ecoando em ondas sutis. Os dois se olhavam num misto de ódio e caça.

Lá em cima, a lua cheia se fez presente.

***
Dados:

Amaretsu: 20/20 PVs, 16/20 PMs; Sugoi.
Tenzi: 15/15 PVs, 29/35 PMs; 13/15 cargas; Sugoi. +1 PD.
Cecilia: 25/25 PVs, 24/25 PMs; 13/15 cargas; Sugoi. PD: 2 PEs temporários. +1 PD.
Carlos: 20/30 PVs, 30/40 PMs; 20/25 cargas; Sugoi 2/5. +1 PD.

Próxima atualização: dia 06.08.2022, sábado.

Avatar do usuário
Pontus Maximus
Mensagens: 816
Registrado em: 09 Dez 2013, 21:15

Re: Ato 2.5 ~ Lua de Prata

Mensagem por Pontus Maximus » 31 Jul 2022, 13:02

Amaretsu:

-Serpus seu maldito, você mente, você não vale nada, adotou o caminho dos covardes, se não quer devolve-la eu vou tira-la de você a força.

Quando eu vi o Õrion Negro se aproximando eu achei que seria meu fim, mas por um milagre eu fui pega de surpresa com a presença de minha Armadura de Aço.

-Armadura de Aço, venha a mim agora.

Então eu fiquei em pé eu também adotei uma postura de combate enquanto a Donzela de Ferro vestia o meu corpo, no meu íntimo eu agradecia a Deus por te-la de volta, uma vez vestida eu me sentia pronta para o combate, não vou recuar. De minhas costas e da minha cintura eu saquei duas espadas banhadas com fogo, mas o Órion Negro não era um inimigo comum e eu preciso elevar meu cosmo ao máximo e foi isso que eu fiz, invoquei meu cosmo o mais alto que pude.

Depois de pronta eu rapidamente avanço sobre Serpus, em um golpe avassalador de modo que eu possa evitar que ele escape de meus ataques, mas também me preparo para um contra ataque de sua parte e depois de golpea-lo eu adoto outra posição defensiva.

OFF: F1+Escala Kiodai+Ataque Surpreendente e Defesa Agressiva+1d6;

Avatar do usuário
Galahad
Mensagens: 1937
Registrado em: 09 Dez 2013, 18:33

Re: Ato 2.5 ~ Lua de Prata

Mensagem por Galahad » 02 Ago 2022, 19:08

Tenzi

"O que mais falta acontecer?!"

Tenzi se via agora diante de dois inimigos, apenas um deles conhecido, o que tornava a tornava a situação complicada para ele, ter que lidar com adversário que desconhecia a força, mas poderia supor ser pelo menos igual a de Kain. Mas a situação não parava ali, pois um tremor de terra era sentido.

— Eu não não posso perder tempo aqui, tenho que achar meus companheiros.

O cavaleiro de Compasso tentaria realizar mais um salto para se juntar aos outros cavaleiros de bronze. Se não conseguisse, iria se pôr numa postura defensiva a fim de se preparar para o provável combate.

"Só espero que eles tenham encontrado com Tizen antes da minha conversa com ele."

Avatar do usuário
Nulo
Mensagens: 494
Registrado em: 09 Dez 2013, 20:17

Re: Ato 2.5 ~ Lua de Prata

Mensagem por Nulo » 05 Ago 2022, 22:54

Cecilia

— Acredite, eu estou tão estupefata quanto você. Não movi um músculo sequer.

Cecilia realmente não tinha um dedo sequer no desaparecimento da armadura que não conseguia mais encontrar com seus sentidos, então nem tinha para que mentir. Dá de ombros, coçando a cabeça em confusão aparente, também. Ficou feliz, pelo menos, em o capitão se interpor entre ela e a bomba num caso de explosão. Era uma boa pessoa.

— Se a armadura sum- um terremoto?

O tremor repentino corta a linha de pensamento da Amazona, que ergue-se em um sobressalto, preocupada. Terremoto ali perto? Será que algo desse nível ela consegue estimar a distância com seus sentidos?

— Eu adoraria continuar nosso diálogo, capitão Isaías, mas algo nesse terremoto não me anima. Onde foi o epicentro disso?

Se o capitão quisesse ajuda-la no processo, tudo bem, caso contrário, tudo bem, também. Só não queria perder tempo lutando sem necessidade. Sobre o terremoto...Tinha enfrentado alguém com capacidade de causar deslocamentos de terra. Será que...?

>

Responder

Voltar para “Cavaleiros do Zodíaco Alpha”